Capacitação para diferentes grupos-alvo:

A transferência de conhecimento e o desenvolvimento de habilidades para conduzir pesquisas nas áreas de ecologia e conservação são componentes importantes do nosso projeto. A implementação do projeto permitiu o envolvimento de estudantes locais dos países onde o projeto está sendo implementado. Até o momento, dois alunos de mestrado (Brasil; http://novo.inma.gov.br/pesquisadoras-apresentam-projeto-de-interacao-entre-planta-e-beija-flor/) e dois alunos de graduação (Equador) completaram com sucesso seus trabalhos de pesquisa no contexto do nosso projeto. Além disso, cinco alunos de bacharelado (Costa Rica, Equador), dois alunos de mestrado (Brasil, Equador) e dois alunos de doutorado (Equador, Colômbia) estão atualmente realizando suas pesquisas conosco. Os tópicos de pesquisa incluem fornecimento de néctar e termotolerância de espécies de plantas visitadas por beija-flores em elevadas altitudes, e preferências alimentares dos beija-flores por diferentes qualidades de néctar por meio de testes experimentais. Na Costa Rica, um programa de estágio foi iniciado com o intuito de fornecer aos alunos a oportunidade de aprender sobre métodos de campo para estudos em ecologia da polinização e, ao mesmo tempo, coletar dados adicionais para o projeto. Esperamos continuar oferecendo oportunidades de treinamento para alunos locais motivados, pois nossa visão é que a capacitação provavelmente irá gerar impactos positivos e duradouros em relação à conservação dos recursos naturais em países tropicais. Além disso, o projeto promoveu workshops de treinamento para participantes locais e proprietários de terras nos três países. Mais recentemente (maio e agosto de 2019), realizamos workshops no Santuário de aves Los Cusingos, localizado no sul da Costa Rica. Durante este workshop treinamos assistentes de campo em tópicos importantes como manuseio de equipamentos de campo, coleta de dados, identificação de plantas e gestão de dados, entre outros. No mês de dezembro realizamos um workshop em Pérez Zeledón, também no sul da Costa Rica, para avaliar a qualidade das informações que coletamos durante os primeiros sete meses, bem como para treinar assistentes de campo em como realizar a organização e gestão dos dados.

No Comments

Post A Comment